sac@lordellotreinamento.com.br
+55 11 4759 1939

Publicações

Dicas importantes segundo experiências vivenciadas.

Como se portar durante assalto à mão armada? Doutor segurança mostra o passo a passo para vítimas minimizarem risco de agressão

Oscar Roberto Godoy, ex-árbitro de futebol, foi baleado, durante assalto na região oeste de SP. Após se recuperar, contou que foi abordado por ladrão, que lhe pediu a chave do carro. Ao fazer movimento com o corpo para pegá-la, pois estava no bolso traseiro de sua calça, recebeu o primeiro disparo, aí resolveu se atracar com o criminoso, que ainda desferiu mais 3 tiros. No dia 3 de março, um professor de 33 anos foi baleado durante tentativa de roubo em São Caetano do Sul/SP. Durante a ação a vítima foi baleada duas vezes, pois se recusou a entrar no veículo com os dois criminosos. Tenho recebido muitos e-mails de amigos leitores que se dizem perplexos com tantos casos de latrocínio (roubo seguido de morte). Solicitam que eu forneça dicas de como se portar durante assalto. Vamos às orientações: 1)Não reaja, cerca de 80% das vítimas que investem contra assaltantes são baleadas 2)Não realize movimentos bruscos. O problema é que o ladrão pode interpretar de duas maneiras: A)O ladrão acredita que a vítima vai pegar uma arma ou faca para reagir B)O assaltante leva um susto, contrai a musculatura, e como o revólver está engatilhado, ocorre disparo involuntário. 3)Não tente  fugir do local do crime. Muitos motoristas, motoqueiros e pessoas a pé, tentam fugir do local, pois acreditam que conseguirão sair ilesos e ainda proteger seus bens. Será que essa atitude é correta? Tenho certeza absoluta que não. Entenda que as chances de bandido disparar contra vítima em fuga é bastante grande. 4)Não pare carro no trânsito com marcha engatada. 5)Não tente negociar com ladrão. Entrevistei diversas vítimas que alegaram que durante assalto tentaram de toda maneira minimizar prejuízo, pedindo ao marginal que não levasse agenda, correntinha de estimação, documentos etc. O melhor procedimento para vítima é encurtar ao máximo a duração do delito, assim o risco cessa mais rapidamente. 6)Não finja estar passando mal. A proposta é que a negociação seja conduzida de acordo com nossas orientações. Não tente simular desmaio, por exemplo. O marginal pode perceber o engodo, ficar mais nervoso ainda e tomar atitude radical. 7)Obedeça as ordens do ladrão. Os primeiros segundos do assalto são os mais tensos, pois o criminoso ainda não sabe qual vai ser a reação inicial da vítima abordada. Aguarde o marginal apontar o que deseja e em seguida siga as orientações.

JORGE LORDELLO
Pioneiro em Palestras “in company” sobre Segurança Pessoal e Patrimonial
Especialista em Segurança Pública e Privada
Palestrante e Conferencista
Escritor Internacional e Articulista com mais de 2500 artigos publicados
Pesquisador Criminal
Conhecida na mídia como “Doutor Segurança”
www.lordellotreinamento.com.br
jlordello@uol.com.br

 

 

Deixe uma resposta

Obrigado por adquirir este produto do Método Lordello. Esperamos que tenha um ótimo aprendizado. Dispensar

%d blogueiros gostam disto: