sac@lordellotreinamento.com.br
+55 11 4759 1939

Publicações

Dicas importantes segundo experiências vivenciadas.

Portão demorou para abrir e o morador foi assaltado na frente do prédio

Nos últimos meses tive acesso a alguns vídeos e relatos de moradores de condomínios que foram assaltados enquanto esperavam para entrar pelo portão principal.

O que me chamou a atenção, foi a demora no acionamento dos portões de entrada dos referidos edifícios. Essa deficiência possibilitou a ação dos ladrões, que estavam a pé ou usando motocicletas. Importante esclarecer, que em relação aos casos avaliados, os bandidos desejavam subtrair os pertences das vítimas, tais como bolsas e aparelhos celulares e não invadir os prédios.

Vamos analisar caso concreto, que aconteceu no mês de junho/2020, no bairro Campestre, em Santo André/SP.

Observe essa moça andando com seu cachorro em direção a portaria do prédio:

Pelas imagens no vídeo que recebi, é possível perceber que ela anda rapidamente, pois, provavelmente, tinha percebido situação suspeita nas proximidades.

Quando chega na frente do portão social ela aciona o interfone.

Mas o portão não é aberto com a pressa desejada pela moradora.

Em pouquíssimos segundos surge ladrão numa moto:

O marginal, ao ver que a vítima não entrava no prédio, faz manobra, sobe na calçada e anuncia o assalto:

A pergunta que não quer calar é a seguinte:

“Esse assalto poderia ter sido evitado?”

Claro que sim. E a conta é simples. Senão, vejamos!

A moradora aciona o interfone às 20h35m04s. O bandido a aborda às 20h35m09s.

5 segundos seria tempo suficiente para a moradora ter entrado no condomínio e escapado do assalto.

Mas por que o porteiro demorou tanto para abrir o portão?

Não se pode culpar de plano o profissional de portaria. Se o prédio não conta com identificação biométrica dos moradores, caberá ao porteiro, inicialmente, identificar o condômino visualmente e em seguida acionar a abertura do portão principal.

Mas não é tão simples assim. Acompanhe o raciocínio.  

O porteiro executa uma série de trabalhos na guarita. Além do atendimento de interfone, em muitos prédios, fica também responsável pela abertura dos portões da garagem. Não podemos esquecer que o porteiro poderia estar no toalete, arrumando alguma coisa no interior da portaria ou até mesmo bebendo água ou café.

A conclusão, é que ao se deixar a cargo do porteiro abrir o portão para morador através da identificação visual, dificilmente se terá a rapidez desejada. E em caso de perigo, essa demora pode ser fator determinante para que o crime seja consumado.

Mas qual a alternativa para que o processo de entrada do morador no condomínio seja o mais rápido possível?

É preciso tirar essa função das mãos do porteiro e passar a responsabilidade para cada morador.

O ideal é a instalação de equipamento biométrico para que o morador passe pela identificação eletrônica rapidamente e o portão seja aberto imediatamente após, agilizando, assim, o processo de ingresso na zona de clausura de pedestres.

Já o segundo portão pode ser aberto pelo porteiro ou pelo próprio morador ao passar novamente pelo equipamento biométrico. A decisão de quem vai abrir o segundo portão ficará a cargo da administração. Qualquer uma das opções têm prós e contras.

Mas qual a melhor opção quando o assunto é segurança?

A resposta depende da análise de dois fatores:

1) O fluxo de pedestres é alto, mediano ou baixo?

2) A clausura de pedestres é independente, ou seja, separada entre moradores e visitantes?

Portarias com fluxo alto de pedestres e carros, inevitavelmente, para agilizar o processo de entrada e saída, será necessário passar a responsabilidade ao morador no tocante a abertura dos dois portões de acesso.

Alerto síndicos que o ideal é ter entradas independentes enclausuradas para pessoas, conforme foto abaixo.

O prédio acima apresenta a melhor opção; as clausuras são distantes uma da outra. Já no edifício abaixo, temos as duas clausuras, uma ao lado da outra:

Portarias com duas clausuras são mais simples e seguras de embarcar biometria para que moradores possam entrar com maior rapidez enquanto pessoas estranhas são triadas pela portaria.

Outro ponto importante, é que com duas clausuras o morador pode entrar ou sair do condomínio sem contato físico com prestador ou entregador, pois os mesmos passarão pela outra área enclausurada.

Para terminar, é importante salientar que em prédios com Portaria Remota, geralmente, os moradores abrem os dois portões através de identificação biométrica, mesmo com uma clausura somente.

Deixe uma resposta

Obrigado por adquirir este produto do Método Lordello. Esperamos que tenha um ótimo aprendizado. Dispensar

%d blogueiros gostam disto: